Notícias

Vereadores criticam ausência de representante da ENERGISA em Sessão Ordinária da câmara

Os vereadores de Patos-PB criticaram a ausência de um representante da Concessionária de Energia Elétrica na Paraíba – ENERGISA, na Sessão ordinária desta quinta-feira (04). Na Sessão Ordinária realizada no último dia 28 de outubro, a casa aprovou, por unanimidade, um requerimento conjunto solicitando da empresa responsável pela distribuição de energia elétrica no estado, que enviasse à casa Juvenal Lúcio de Sousa um representante que pudesse esclarecer a ação, considerada tempestuosa e truculenta, contra os moradores da comunidade Divino Pai Eterno, localizada no bairro Novo Horizonte, no último dia 27 de outubro, quando cortou o fornecimento de várias famílias, sob o argumento de que as casas foram construídas em área irregular.

A presidente da casa, vereadora Tide Eduardo, disse que até o início dos trabalhos a empresa não havia protocolado nenhum documento justificando a ausência. “Apenas tomei conhecimento através do vereador Josmá Oliveira, que alguém teria enviado através de WhatApp, se dizendo da empresa, um ofício informando da impossibilidade de participar da sessão. No entanto, como esse documento não foi protocolado de forma oficial, nós o desconsideramos. ”, relatou Tide, admitindo a possibilidade da casa aprovar um Voto de Repúdio contra a empresa.

De acordo com Zé Gonçalves, o corte no fornecimento das famílias, infringe, inclusive, o código de proteção ao idoso, uma vez que parte dos moradores tem mais de 70 anos. “Primeiro desrespeito da empresa com esse povo e com os parlamentares desta casa. ”, avalia o vereador do PT, que defende a aprovação de um Voto de Repúdio contra a concessionária. “Uma empresa que só visa lucro em detrimento do social. ”, concluiu.

O vereador Italo Gomes, do republicanos, concorda com o colega Zé Gonçalves, inclusive, na aprovação do Voto de Repúdio. “Repúdio de forma veemente essa ação extremamente desumana, criminosa e totalmente fora da legalidade. ”, disse o vereador que é bacharel em direito. “Tenho certeza que o prefeito Nabor Wanderley deve tomar as providencias cabíveis. ”, acrescentou.

Para o vereador Davi Nunes (DC) mesmo os moradores estando em uma área irregular, a ENERGISA não poderia fazer o corte, sem antes, considerar algumas particularidades, a exemplo de crianças e idosos que residem no local. “A empresa também foi seletiva usou dois pesos e duas medidas nessa ação desastrosa, uma vez que existem outras residências na mesma área, por tanto, em tese, construídas de forma irregulares, mas, no entanto, o fornecimento foi mantido. ”, avalia o vereador, que atua no ramo da construção civil.

Além de lamentar o corte no fornecimento de energia, o vereador Jamerson Ferreira criticou a iniciativa da empresa de retirar postes e fiação comprados pelos moradores, com o apoio de um aparato policial que esteve no local durante a ação. “A polícia deveria ter sido chamada para impedir a ação criminosa da ENERGISA, que sabidamente coloca fio preto nos quadros de energia das residências para simular o chamado ‘gato’ e imputar multa aos consumidores. Esta sim, comete crimes contra o consumidor e, até pouco tempo, essa era uma prática corriqueira dessa empresa. ”, relatou o vereador do PL, cobrando a devolução do material adquirido pelos moradores.

A vereadora Fatinha Bocão, do Republicanos, também lamentou a situação dos moradores que ficaram sem o fornecimento de energia. “Eu fico imaginando os problemas que essas famílias estão enfrentando agora, como comida se estragando na geladeira, sem condições de ligar um nebulizador para uma criança com problemas respiratórios, problemas com muriçoca e calor pela falta de um ventilador e, lamentavelmente, a empresa não considerou nada disso. ”, pontuou a parlamentar.

Para o vereador Josmá Oliveira, o maior problema é o monopólio. “Como não existe concorrência, a empresa que detém a concessão praticamente vitalícia, faz com o povo o que bem quer. ”, afirmou o vereador do Patriotas, defendendo a abertura do mercado para outras empresas.  

Por fim, o líder do prefeito na casa, vereador Sales Jr. após concordar com os posicionamentos dos colegas, informou que prefeito Nabor Wanderley intermediaria, junto a empresa, a solução do problema. “O Poder legislativo tem feito sua parte e, pela segunda vez, compramos uma briga contra essa empresa e em favor do povo de Patos. ”, observou o líder do prefeito na casa.

« Voltar