Notícias

Morte de idosa de 90 anos, que ficou internada por 15 dias no HRP, revolta vereadores

A morte da senhora Maria Fernandes Rodrigues, de 90 anos, ocorrida nesta terça-feira, dia 09 de novembro, no Complexo Hospitalar Jandhuy Carneiro em Patos-PB, foi duramente criticada pelo vereador Davi Maia (DC) durante a Sessão Ordinária desta terça-feira (09).

De acordo com o parlamentar, a idosa deu entrada no hospital no último dia 27 de outubro do ano em curso, com fratura no fêmur e, mesmo após 15 dias internada, a cirurgia não foi realizada. “Por conta da demora, ela acabou adquirindo uma pneumonia e, em seguida, foi contaminada por uma bactéria hospitalar.”, revelou o parlamentar, acrescentando que a anciã ficou três dias em jejum aguardando o procedimento, que segundo ele, não foi realizado por falta de vagas nas unidades de UTI. “Quando surgiu uma vaga, a família foi informada que a idosa não poderia ocupar, pois a prioridade seria para uma pessoa jovem. Por conta dessa demora, certamente ela acabou morrendo. ”, lamentou o edil, criticando a direção do hospital, pelo que considera ser uma discriminação contra idosos e desumano. “Com tantas UTIs abertas pelo Ministério da Saúde no hospital, lamentavelmente, quem tiver 90 anos e precisar de uma, não vai ter direito. ”, pontuou.

Para o vereador Zé Gonçalves (PT), o governo do estado precisa dá uma resposta às demandas da população local que suplica por melhores serviços. “A crise da saúde de Patos é estrutural. O governador João Azevedo quando visita à cidade é sempre para atender os pleitos políticos dos aliados. Faz um agrado ao seu grupo e vai embora sem pensar no povo. ”, criticou Gonçalves, lamentando a falta de ações concretas por parte da secretaria de estado da saúde.

Durante um aparte, o vereador Josmá Oliveira (Patriotas), relatou o que considera ser contradição de alguns políticos da cidade e indagou: “quando eles precisam de atendimento médico procuram as UBSs ou o Hospital Regional? ”, questionou o parlamentar, criticando o governador João Azevedo pela ausência de investimentos por parte do estado na cidade. “O povo que se lasque. ”, bradou o edil, em tom de revolta.

Em outro aparte, o vereador Patrian (Rede) lamentou a falta de assistência de média e alta complexidades nas unidades do estado em Patos. “Até quando nossa população vai sofrer nas mãos do governador e essa política de troca de votos por atendimentos? ”, indagou o sargento.   

Durante seu pronunciamento, o vereador Jamerson Ferreira (PL), lamentou a morte da idosa e aproveitou para criticar, também, a população patoense pelas escolhas políticas feitas nas últimas eleições, que segundo ele, resultam na precariedade do serviço em nossa Região. “Esse é o retrato negro da saúde de Patos, que infelizmente não é pra todos, mas para alguns. Lamentavelmente, a agiotagem da saúde local prefere encaminhar as pessoas para cidades como Alexandria-RN ou Taperoá-PB.”, lembrou o parlamentar, acrescentando: “quem vendeu voto em troca de algum serviço de saúde, não tem moral pra reivindicar melhorias. ”, disparou o edil.

O outro lado

Através da imprensa local, o diretor do Complexo Hospitalar de Patos, Francisco Guedes, se pronunciou sobre as declarações dos vereadores. Ele negou que a morte da idosa tenha relação com a falta de uma ocupação em leito de UTI e disse: “Em nenhum momento ofuscamos a verdade. Estamos vivendo dias complicados com nossas UTIs lotadas, áreas vermelhas, amarelas, verde e enfermarias. Somente no final de semana tivermos mais de 200 atendimentos e momentos em que ficamos sem nenhum leito para acomodar nenhum paciente. ”, explicou Guedes, lembrando que o Jandhuy Carneiro, que tinha apenas 06 leitos convencionais de UTI, agora tem 12, mas, que todos estão ocupados. “A UTI covid, com 11 leitos, 8 estão ocupados. ”, acrescentou o diretor. “Essa senhora, lamentavelmente, evoluiu para um quadro de infecção e não tinha condições físicas de passar pelo procedimento cirúrgico. ”, informou, lamentando o óbito.

« Voltar